Na segunda parte da viagem eu ainda tinha outras 5 cidades para visitar, fotografar e mais de 800km para dirigir (no lado contrário da rua!) entre Inglaterra e País de Gales. O hotel reservado para os próximos dias ficava em Bristol, mas antes de chegar lá teria uma parada.

Fiz o checkout do hotel de manhã, peguei um taxi e fui direto para Kings Cross buscar o carro que estava reservado para mim na locadora. O que teoricamente ia ser rápido, demorou muito mais que o previsto. Só consegui sair da locadora de carro após meio dia. Essa ia ser a minha primeira experiência como motorista com o volante ao lado direito, dirigindo do lado esquerdo da rua. Obviamente, antes de sair do estacionamento da locadora eu já errei a mão…

Solicitei um carro com GPS para minimizar as chances de me perder e, tentar correr o máximo atrás do tempo perdido e ver se dá tempo de visitar todas as atrações que estavam planejados para este dia.

 



Segunda parada: Bath, Inglaterra

À caminho de Bristol fiz um pitstop em Bath, uma cidade com águas termais em construções Romanas. A passagem teve que ser expressa, mas deu tempo de conhecer o complexo dos Roman Baths (Banhos Romanos) com as suas piscinas de águas quentes. O preço da visita ao complexo é de £15.00 com direito a audioguia em diversos idiomas.

Roman Baths #LoveGreatBritain
Roman Baths #LoveGreatBritain

Acabei o tour pelo complexo e aproveitei para fazer mais algumas fotos lá dentro enquanto ainda havia tempo para a próxima visita à atração na cidade.


Literalmente ao lado dos Banhos Romanos, fica a Bath Abbey (Abadia de Bath) do construída no Séc. 7. Cheguei na hora marcada para a visita. Eu estava empolgado para conhecer porque sabia que era muito bonita por dentro.

By Danny Zappa at Bath Abbey, Bath - England
Bath Abbey #LoveGreatBritain

Assim que entrei para visitar a abadia, fui barrado por um senhor na porta dizendo que aquele dia/hora não estava mais aberto para o público por conta do ensaio semanal do coral. Conversei com ele tentando explicar a situação e sem chance, ele não me deixou entrar. 😦 Consegui espiar pela janela e confirmei que o interior realmente era muito bonito, e acabou por ai.

Logo atrás da abadia, encontrei a famosa Pulteney Bridge (Ponte de Pulteney), ponte construída em 1773, que cruza o Rio Avon.

 

 



Terceira parada: Bristol, Inglaterra
Peguei o carro e fui direto para Bristol Hotel, onde eu ficaria hospedado por duas noites para conhecer a cidade, as suas atrações e cidades próximas de lá. Como cheguei tarde na Bristol, por conta do atraso pela manhã em Londres, fui direto para o hotel, jantei, tomei um banho e fui dormir.

Em Bristol eu tinha em torno de 10 atividades para fazer ao longo do dia, entre tours, museus, catedrais, bibliotecas, navios e muitos outros. Como não ia dar tempo de fazer tudo, decidi por alguns que conto abaixo.

 

Na primeira manhã em Bristol fiz um Street Art Tour (Where The Wall) exclusivo com o Rob Dean, um grafiteiro e artista local. O passeio durou mais de duas horas, onde ele Rob me mostrou algumas das artes mais famosas da cidade. Para os amantes de graffiti e arte de rua, Bristol é a cidade natal do Banksy. Foi lá onde ele começou a sua arte que hoje é reconhecido mundialmente.

 


Logo após o passeio pela cidade encontrando arte de rua, visitei a catedral da cidade, o Bristol Cathedral, uma catedral anglicana consagrada no ano de 1148. Entrei na catedral e procurei pela Katherine, a pessoa que iria me mostrar o interior da construção centenária.

Bristol Cathedral #LoveGreatBritain
Bristol Cathedral #LoveGreatBritain

Após visita guiada pelo térreo da catedral, olhei para o molho de chave dela e lancei a pergunta se havia a possibilidade de ver as gárgulas no teto da catedral e já esperando um “Não!” como resposta. Para minha surpresa ela respondeu rapidamente “Claro! Vem comigo!”

Opa! Bora lá! Subimos as escadas, passando pela sala dos sinos que ainda tinha os sinos originais (desativados e cheia de pena de pombas, OK!). Subimos mais escadas e chegamos no telhado para ver as gárgulas de perto e a Bristol por cima. Achei demais!

 


A atração seguinte era visitar um navio de 1839. O navio SS Great Britain foi o primeiro navio transatlântico a ter um casco e uma hélice propulsora de ferro e, quando foi lançado em 1843, era o maior navio da época.

Brunel's SS Great Britain #LoveGreatBritain
Brunel’s SS Great Britain #LoveGreatBritain

Cheguei lá e me deparei com um desafio proposto pelo Paul, o guia do navio: Subir na plataforma do mastro, 26m acima do navio e caminhar pela madeira que cruza o mastro, 9m pra fora do navio. “Tá loco! Mas tô aqui pra isso, né!”

Não me deixaram subir com o celular para fotografar a vista lá de cima, então não tenho provas para dizer que realmente subi. Hahaha eu juro que subi! 😀



Quarta parada: Cardiff, País de Gales
Já que eu estava relativamente perto, resolvi conhecer também um pouco do País de Gales. Na manhã seguinte, dirigi mais 70km para o oeste e cheguei em Cardiff para passar a tarde por lá. Peguei bastante transito na entrada da cidade porque era a final do Rugby World Cup 2015, que estava acontecendo em Cardiff bem naquele dia.

Fui direto para a Baía de Cardiff, onde tinha algumas coisas que eu queria conhecer. Primeiro fui ao Wales Millennium Centre, a casa nacional de artes performáticas.

Processed with VSCOcam with e1 preset
Wales Millennium Centre

 

Wales Millennium Centre #LoveGreatBritain
A arquitetura interna do Wales Millennium Centre têm características e texturas de um navio

Desde a minha chegada na Grã Bretanha eu ainda não havia visitado um castelo. Aproveitei que na cidade tinha castelo medieval um e fui visitar o Cardiff Castle (Castelo de Cardiff) e o palácio neogótico vitoriano. A visita ao castelo fica em torno de £15.00 com o audioguia.

Cardiff Castle #LoveGreatBritain
Cardiff Castle #LoveGreatBritain

View this post on Instagram

Golden details

A post shared by Danny Zappa (@dannyzappa) on

 

Detalhes dourados e padrões simétricos na Sala Árabe, uma das salas muitas salas diferentes do Castelo de Cardiff.


Como a volta para Bristol era longa, decidi pegar a estrada antes que escurecesse.

 


 

Quinta parada: Tintern
No último dia de viagem na estrada de volta para Londres, desviei do caminho e voltei para País de Gales para conhecer as ruínas deslumbrantes do século 12 da antiga Tintern Abbey (Abadia de Tintern) no sul do país. As ruínas da abadia ficam ao lado de Tintern, um vilarejo perto da divisa da Inglaterra.

 

DannyZappa_OMGB_TinternAbbey_01

 



Ultima parada: Chippenham
Antes de chegar em Londres, passei por Chippenham para almoçar e conhecer os jardins coloridos da Bowood House & Garden (Casa e Jardim de Bowood). Um Palácio rural inglês em estilo Georgiano, construído a mais de 300 anos.

Voltei para Londres, larguei o carro na locadora, peguei as minhas malas e fui direto para o pub encontrar com um amigo que mora na cidade. Passei outros 3 dias explorando a cidade, e assim acabou a minha passagem #LoveGreatBritain por Inglaterra e País de Gales. Tiveram mais locais interessantes que visitei e histórias curiosas que aconteceram comigo ao longo da viagem, mas isso é papo para outro post. 🙂

Tem alguma pergunta para fazer?
Deixe seu comentário abaixo sobre o que achou da viagem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s